Entrevista com Paulo Menezes em 2011

f1d59020ed141e062b867a0fd809c328

 

O carnavalesco da Portela, Paulo Menezes, concedeu entrevista exclusiva para o site PortelaWeb falando sobre o enredo da escola para 2012 ". . .E o povo na rua cantando é feito uma reza, um ritual. . ." sobre as manifestações populares da Bahia. Confiram!

Portelaweb: Satisfeito com o encerramento deste primeiro momento, ou seja, definição do tema e divulgação da sinopse?

Paulo Menezes: Muito satisfeito, afinal eu queria falar de Bahia. Quando fui para a escola, tinha isso em mente. Posso dizer que juntamos o útil ao agradável. E, desde o início, com várias especulações sobre diversos enredos, eu sabia (coisas de intuição, não sei explicar) que eu acabaria falando da Bahia. Não deu outra!!!

PW: Bahia e Clara Nunes dão samba e enredo?  Como você chegou a um denominador comum entre esses ícones?

PM: Claro! Aí foi uma vontade de satisfazer a torcida portelense, afinal são setenta anos de Clara, que não poderiam passar em branco, e resolvi transformá-la no fio condutor do enredo. A Clara personificou a figura da baiana com muita propriedade, então não vai ser gratuita a presença dela no enredo. Posso dizer que é um pequeno presente para os portelenses. Acho que eles vão gostar.

PW: Que novidades você prepara para dois temas já levados para a avenida?  Mesmo sem entrar em detalhes, é possível afirmar que haverá um diferencial em 2012?

PM: Qualquer tema pode ter cheiro de novo ou velho, depende da forma como ele é visto. Estou procurando fazer uma Bahia como eu a vejo. Acho que vai ao encontro daquilo que a Portela anseia, um carnaval luxuoso, mas ao mesmo tempo com linguagem moderna. Barroco, mas com uns toques afros. E cheio de brasilidade e sensualidade, pois o baiano tem isso na alma.

PW: O "Império do Divino" (enredo do Império Serrano em 2006) influenciará a execução deste novo projeto?  Como?

PM: Em nada. Era um outro projeto em uma outra escola. Ele foi pensado para o imperiano, com as características da escola. Assim como o deste ano está sendo pensado para e com as características da Portela.

PW: Lendo e relendo a sinopse, percebe-se a Bahia de Salvador e não a Bahia sertaneja ou a do Recôncavo. Confere?  Foi pensada esta opção ou estamos enganados?

PM: O foco principal é Salvador, mas passeio pelo Recôncavo, pelo interior também. Várias manifestações que as pessoas acham que são soteropolitanas abrangem o estado inteiro, e algumas não chegam até a capital, mas farei um passeio pelas mais significativas. E além do mais, as características são bastante parecidas, na maioria delas.

PW: Pensando em religiosidade e em Portela, fica muito difícil não deixar de pensar na Águia, Velha Guarda, em  São Sebastião e em Nossa Senhora da Conceição, símbolos da mística portelense (mística evocada na famosa frase de Antônio Rufino, um dos fundadores da Portela, que dizia que Ela não teria sido fundada, mas "criada por obra do Espírito Santo"). Como lidar com as restrições da Igreja e a necessidade de culto destes símbolos tão caros ao portelense?

 

FOTO IGREJA NOSSO SENHOR DO BONFIM

 

PM: Nunca tive problemas com a Igreja, e nem pretendo ter. Acho uma dor de cabeça desnecessária. Trabalharei sempre com o imaginário popular. Aquilo que for permitido estará presente, o que não for, também estará, mas de uma outra forma. É só colocar a cabeça para funcionar que a gente acha solução para essa questão. Isso não me preocupa.

PW: E por falar em Águia (rs), já dá para adiantar como o nosso símbolo maior deve vir?

PM: Acho que 750 mil pessoas já me perguntaram isso. Eu também já me perguntei. Mas isso vai ser segredo. Tenho algumas ideias, mas estou amadurecendo ainda.

PW: Teremos uma Portela muito bem vestida, a julgar pelos seu estilo e histórico. Será uma Portela "pesada" ou, ao contrário, leve?  É possível conciliar leveza e luxo? Como?

PM: Vai ser uma Portela de riqueza, de luxo, de sensualidade, sem cangalhas. Um carnaval de figurino, como eu gosto de fazer. E acho que foi por isso que os portelenses queriam que eu viesse para cá. Espero agradar.

PW: Azul e branco ou colorido? Por quê?

PM: Muito colorido, mas sempre com nuances de azul, afinal Bahia é cor!

PW: Haverá recursos para garantir a execução do projeto?

PM: Esta pergunta não é para ser feita para mim.(rs). Não sou a melhor pessoa para respondê-la. Espero que sim, que eu possa colocar na Avenida este carnaval grandioso que está sendo projetado e que a Portela merece.

PW: Como tem sido sua relação com a comissão de carnaval e a presidência?  Existe autonomia artística?

PM: Muito boa, uma relação de respeito, amizade, companheirismo e planejamento acima de tudo. Tudo é conversado e planejado. Estou tendo total autonomia para tocar o trabalho, a sintonia com os "meninos" é muito boa, a gente troca muito. Está sendo muito prazeroso.

PW: A equipe artística foi mantida pela escola ou você fez questão de agregar mais alguém de sua confiança?

PM: Eu sempre prezo a qualidade do trabalho, e acho que em alguns momentos isso assusta as pessoas. Sou muito profissional e exijo profissionalismo das pessoas que trabalham comigo.

Então quem é bom é bom, quem não é bom não é bom. Conheço a maioria dos profissionais, já trabalhei com vários deles em outras escolas, e temos que levar em consideração que o tempo que a Portela está acostumada a executar o seu carnaval não permite ao profissional mostrar o melhor dele, do que ele é capaz. Mas estamos planejando estas mudanças e tudo será feito antes. Com as bênçãos do Senhor do Bonfim!!! rs

PW: Por favor, uma mensagem para os portelenses.

PM: Acreditem! A Portela não quer entrar na Avenida para fazer figuração. Queremos e podemos muito mais que isso. Temos quesitos fortíssimos, é só olhar em volta. Com um grande enredo, um lindo Carnaval, e um lindo samba... é tudo nosso!!! Cobrem! Vocês, como torcedores e apaixonados, podem e devem fazer isso. Vamos fazer a Águia voar alto na Avenida!!

 

Elaboração: Rogério Rodrigues