"ACADEMIA DO SAMBA"

 

1934

 

O desfile de 1934 foi antecipado para o dia 20 de janeiro, Dia de São Sebastião, para homenagear o prefeito Pedro Ernesto, político que mais ajudou as escolas de samba em seus difíceis primeiros anos.

O Campo de Santana foi minuciosamente preparado pelo jornal patrocinador "O Paiz" para receber as 16 agremiações inscritas no concurso: Vae Como Pode, Prazer da Serrinha, União do Sapê, Azul e Branco, Unidos da Saúde, Estação Primeira, Príncipe da Floresta, Deixa Malhar, Paraíso do Grotão, Depois Te Explico, Esio de Ramos, Última Hora, Lyra do Amor, Fale Quem Quizer, De Mim Ninguém Se Lembra e Para o Anno Sai Melhor (segundo a grafia publicada pelo jornal "O Paiz" em 18 de janeiro de 1934).

Segundo reportagem do jornal acima citado, o desfile se carcterizou por apresentar sequencia de variados tipos de agremiações carnavalescas desfilando juntas. Antes do Vae Como Pode, que foi a primeira escola de samba a desfilar, se apresentaram o "Cordão do Bola Preta" e "Os Tenentes do Diabo". Ao todo, incluindo as escolas, estavam presentes 33 agremiações.

Chovia muito quando o Vae Como Pode iniciou sua apresentação. O enredo foi "Academia do Samba", e o carnavalesco Antonio Caetano fazia uma homenagem ao samba e ao cavalo Mossoró, campeão do Grande Prêmio Brasil de Turfe do ano anterior.

Como alegoria, os artistas da Vae Como Pode apresentaram três cavalos representando os principais redutos de samba do Rio de Janeiro, ou seja, a verdadeira "academia do samba" carioca. O samba apresentado foi "Mossoró", do compositor Zé Chacrinha.

Pela primeira vez na história, foi cobrado ingresso para o povo assistir ao desfile. Apesar dessa novidade, e da chuva, um grande público compareceu para prestigiar o espetáculo, que a cada ano se estruturava melhor e crescia em importância.

 

1934 1 21 Desfile1 OPaiz

Descrição do desfile publicado pelo "O Paiz" em 21 de janeiro de 1934

 

Taça de Bronze

A comissão julgadora foi composta por cronistas de vários jornais: Franscico Neto (A Pátria), Floriano Costa (A Sentinela), Venerando da Graça (O Radical), Antônio Veloso (O Paiz) e Jota Efegê (Diário Carioca). O Vae Como Pode terminou na segunda colocação, sendo destacado pelo seu "conjunto com forma característica de escolas de samba".

Como prêmio pelo vice-campeonato, a agremiação ganhou uma taça de bronze. O título principal ainda não havia sido conquistado, mas a Portela já demostrava que seria em pouco tempo a maior escola de samba do carnaval carioca. Até então, a Mangueira reinava absoluta no hall das campeãs, mas não por muito tempo, pois essa situação, definitivamente, estava com os dias contados.

 

1934 Premiacao OPaiz

No dia 26 de janeiro, o jornal "O Paiz" publicou foto de Paulo da Portela, segundo à esquerda de terno branco, presente na entrega da premiação.

 

 

Durante o Carnaval

No dia 4 de fevereiro ocorreu outro desfile de escolas de samba, patrocinado pelo jornal "A Hora", no Estádio Brasil, do qual participaram 30 agremiações incluindo o Vae Como Pode. O Recreio de Ramos levou o título e o Vae Como Pode foi agraciado com o prêmio extra pela ótima apresentação.

 

Pesquisa e texto: Fábio Pavão e Marcello Sudoh
(Copyright © - Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução total ou parcial)