"TESTE AO SAMBA"

 

1939

 

 

O ano de 1939 era fundamental para a Portela se consolidar como grande escola. Campeã pela primeira e única vez em 1935, os confusos desfiles dos anos seguintes não permitiram que a vitória voltasse para Oswaldo Cruz. Paulo da Portela, após anos dividindo sua atenção no carnaval entre sua escola e os compromissos que a fama exigia, incluindo o cargo de membro do Conselho Fiscal da União Geral das Escolas de Samba (UGES), finalmente poderia se dedicar integralmente aos preparativos do carnaval da Portela.

Apesar da oposição de alguns, o desfile das escolas de samba continuava na quase sagrada Praça Onze, eterna "Meca dos sambistas". Desfilaram 26 escolas no domingo de carnaval, dia 19, entre às 20h30 e às 3h de segunda-feira.

Até 1938, a população ficava sabendo dos detalhes envolvendo os desfiles através de notas isoladas na imprensa escrita. A partir de 1939, os jornais "O Radical" e a "Gazeta de Notícias" inovaram e criaram colunas especiais, separadas de eventos como bailes, corsos, ranchos, grandes sociedades e blocos, para contar de que forma as escolas de samba vinham se preparando para os desfiles.

 

Primeiro samba-enredo

"Teste ao samba" era o enredo da Portela. Idealizado pelo próprio Paulo. Nosso primeiro presidente foi também autor do samba, que causou surpresa por descrever o enredo proposto. Pela primeira vez, a Praça Onze e o mundo do samba ouviam um samba-enredo. Estava inaugurado um gênero musical que passaria a ser sinônimo de escola de samba.

Também pela primeira vez, uma escola de samba trazia fantasias totalmente enquadradas no enredo. Paulo representava um professor e o restante da escola, vestida de alunos, chamava atenção não só pela uniformidade, mas por ter usado na confecção das fantasias materiais como cetim e lamê, que devido ao alto preço impediram alguns portelenses de desfilar.

 

Diploma para os alunos

Em frente à comissão julgadora, Paulo distribuía diploma a cada um de seus "alunos". O público foi ao delírio com a novidade. A comissão julgadora, composta por Lauro Alves de Souza, Athenes Glasser, Lorival Cesar, Álvaro Pinto da Silva e o imortal Austragésilo de Athayde, também gostou muito do que presenciava.

A alegoria principal era uma gigantesco quadro-negro com as inscrições: "Prestigiar e amparar o samba, música típica e original do Brasil, e incentivar o povo brasileiro", frase que apesar do tempo se mantém atual até os dias atuais.

Ao final dessa emocionante aula de samba, o resultado não poderia ser outro: Portela campeã! Era o segundo título de nossa inigualável coleção. A elegância de Paulo, a partir desse ano eternizado como professor, e a Portela mereceram enormes destaques dos críticos que assistiram ao espetáculo.

"Teste ao Samba" foi um desfile histórico e revolucionário. Poucos tiveram o privilégio de ver, mas com certeza figura na galeria dos grandes desfiles, dos desfiles inesquecíveis, daqueles que estarão eternamente nas principais referências sobre samba e carnaval. Sem Paulo da Portela e suas idealizações para "Teste ao Samba", provavelmente as escolas teriam seguido outro caminho e hoje estaríamos vendo um espetáculo completamente diferente.

 

 

 

1939 2 23 OJornal

Edição de 23 de fevereiro de 1939 de "O Jornal" divulga o resultado do desfile das escolas de samba

 

Pesquisa e texto: Fábio Pavão e Marcello Sudoh
(Copyright © - Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução total ou parcial)